As negações, as falsas separações e a necessidade de uma nova pedagogia

Reflexões do III Encontro da Comunidade Sinergias ED

O III Encontro da Comunidade Sinergias ED, que teve como tema base a Capacitação, um dos eixos do projeto, não deixou de arrebatar os seus participantes com duas intervenções cheias de provocações, que os levaram a uma discussão e reflexão plurais, mas com uma conclusão coesa: tudo é feito e pensado de forma relacional e, por isso, temos que aprender a relacionar-nos de um modo integral.

Vanessa Andreotti, docente da University of British Columbia e membro do Coletivo de arte/educação “Sinalizando rumo a frutos descoloniais”, partilhou reflexões deste coletivo sobre as principais negações e vícios que assombram o Ser Humano: negamos a violência e apropriação nos processos de obtenção daquilo que aspiramos; negamos a existência de limites do Planeta; e negamos o entrelaçamento existente entre tudo o que é real, centrando a existência Humana e superiorizando o seu intelecto. Por outro lado, vivemos assentes no vício do consumo, não só de produtos mas também de relações, pessoas e experiências; no vício do controlo; e no vício das certezas. Perante esta realidade, torna-se urgente a criação de uma pedagogia que, para além de ter conta a consciência do Ser Humano, englobe também o Mundo em que vivemos. 

Nuno da Silva, que é membro da RECIFE – Collaborative Network of Initiatives of an Eco-Systemic Future e se assume como Ativista pela Educação, falou aos participantes sobre como a visão atual do mundo, traduzida na cultura da separação – separação entre o Homem e a Natureza, entre o eu o outro, e entre o eu eu próprio – resultou no colapso em que todos os sistemas vivos atuais se encontram. Neste sentido, e devido à complexidade de possíveis soluções e cuidados a ter perante esta situação, o pedagogo realçou a importância de trabalhar competências como a curiosidade, a mente aberta, a compaixão e a coragem. É através do seu desenvolvimento e estímulo que, no futuro, aprenderemos a relacionarmo-nos com tudo o que nos rodeia, regenerando a vida e deixando para trás processos desatualizados: “temos que começar a desaprender”. 

O encontro, que ocorreu no Centro Universitário Padre António Vieira (CUPAV), em Lisboa, prosseguiu com um trabalho conjunto da comunidade com o propósito de preparar a Escola Sinergias ED, que irá acontecer durante o Verão de 2019. A tarde serviu ainda para que cada grupo de trabalho dentro da comunidade se reunisse e trabalhasse colaborativamente.   

previous arrow
next arrow
Slider

O projeto Sinergias ED: Consolidar o diálogo entre investigação e ação em Educação para o Desenvolvimento em Portugal, promovido pela Fundação Gonçalo da Silveira (FGS) e pelo Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (CEAUP) e financiado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, está a decorrer entre 2018 e 2020 e tem como objetivo principal reforçar a qualidade da intervenção em Educação para o Desenvolvimento em Portugal.