No seguimento do Ciclone Idai, que atingiu Moçambique em março de 2019, surgiu a campanha “Somos Moçambique”, que deu origem ao projeto com o mesmo nome,  promovido pelo consórcio FGS | Fundação Gonçalo da Silveira, FEC | Fundação Fé e Cooperação e VIDA – Voluntariado Internacional para o Desenvolvimento Africano. 

Com atuação direta no Bairro de Manga Mascarenhas, na Província de Sofala, Moçambique, é através da aposta em quatro áreas diagnosticadas como essenciais – educação, saúde, produção e água e saneamento – que o projeto “Somos Moçambique pretende contribuir para a promoção da resiliência de escolas e comunidades e para a redução do risco de catástrofes.

  • Contribuir para a redução da vulnerabilidade, face ao ciclone Idai e futuros desastres naturais, da população da Beira, Província de Sofala.
  • Reforçar a capacidade de resiliência da população da Beira, em particular do bairro de Manga Mascarenhas, afetada pelo ciclone Idai, através de ações integradas de educação, saúde e atividades geradoras de rendimento familiar.
  • 2019 – 2022
  • Bairro da Manga Mascaranhas, Cidade da Beira, Província de Sofala, Moçambique
  • Educação
  • Saúde
  • Produção e geração de rendimentos
  • Água e Saneamento
  • (7554) estudantes 
  • (65) professores/as e educadores/as;
  • (30) diretores e subdiretores;
  • (50) encarregados de educação;
  • (720) pessoas da comunidade participantes nas formações de sensibilização em saúde;
  • (80) agregados familiares participantes nas formações em geração de rendimentos.
Indiretamente:
  • A população do Bairro de Manga Mascarenhas (41.635 pessoas) e arredores;
  • Parceiros locais que recebem informações sobre as atividades e formações.
  • Caracterizar, por setor, a comunidade do Bairro da Manga Mascarenhas;
  • Reforçar estruturas, equipamento escolar e administrativo e material pedagógico nas escolas Manga Mascarenhas e Santos Inocentes;
  • Formar e capacitar profissionais de educação e do ensino pré-escolar;
  • Apoiar e organizar atividades produtivas e geradoras de rendimento;
  • Sensibilizar a comunidade para a resiliência;
  • Promover atividades de manutenção e valorização do espaço escolar relativos ao ambiente, higiene e gestão dos lixos.
  • A Comunidade do Bairro da Manga mais resiliente e capacitada ao nível da educação, saúde e geração de rendimentos para fazer face a situações de vulnerabilidade futura.
  • Espaços educativos reabilitados e equipados.

 

O projeto tem duração prevista até janeiro de 2022. É promovido em conjunto pela FGS | Fundação Gonçalo da Silveira, FEC | Fundação Fé e CooperaçãoVIDA – Voluntariado Internacional para o Desenvolvimento Africano. É cofinanciado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, pelo Fundo de Apoio à Reconstrução de Moçambique e pela Campanha “Somos Moçambique”, em Portugal.