A crise que vivemos, atualmente, tem por base uma conceção antropocêntrica da vida, que favorece uma visão utilitarista do ser humano enquanto insaciável, sem limites e independente. Esta conceção potencia o esquecimento dos nossos limites e da nossa ecodependência (entre pessoas e com a natureza), e tende a gerar um esgotamento dos recursos, colocando em causa a nossa sobrevivência enquanto espécie. Necessitamos, por isso, de recuperar uma visão da vida que nos devolva um olhar integrado, agradecido e esperançoso sobre o futuro: é aqui que a Ecologia Integral se torna urgente.

A Ecologia Integral assume que a dignidade de cada pessoa apenas se expressa numa lógica de relação com as outras pessoas e com o mundo. Relação essa que não é de domínio, imposição ou competição, mas assenta numa ética do cuidado e na cooperação e reciprocidade. Cuidado assumido por todas as pessoas, de todas as gerações, independentemente do género, classe, etnia.

Nos processos educativos que leva a cabo, a FGS assume como seu papel a promoção de novas formas de entender as relações com as pessoas e com o mundo. A partir desta perspetiva de Ecologia Integral, pretende ajudar a formar pessoas comprometidas com o cuidado da casa comum e com a transformação das relações injustas que o ameaçam.

Este vídeo integra o recurso pedagógico “Caderno de Viagem – Itinerários pedagógicos para educar para a Ecologia Integral pela Cidadania Global”. Aceda AQUI.