Ciclo de Webinars Sinergias ED: abertura do horizonte no sentido da mudança



Desde 2013, o projeto Sinergias ED, no final de cada edição, promove um encontro internacional em formato presencial em Portugal. Nesta 3ª edição que terminará em agosto de 2020, estava prevista a realização do III Encontro Internacional Sinergias para a Transformação Social em Lisboa. Contudo, o distanciamento físico exigido pela COVID-19, como prevenção, abarcou consigo a necessidade de repensar e reinventar este encontro que tinha como objetivo a partilha de experiências entre ativistas e profissionais iberoamericanos ligados à Educação para a Transformação Social / Educação para a Cidadania Global (ETS/ECG). 

Assim, perante a impossibilidade de se realizar este evento de forma presencial , o projeto Sinergias ED reformulou o formato da atividade tendo sempre presente o seu objetivo primordial: promover partilhas, reflexões críticas e novos conhecimentos na área da ETS/ECG.

Deste modo, passámos do habitual Encontro Internacional em formato presencial, para um formato virtual, para o qual foi necessário explorar as potencialidades tecnológicas ao nosso alcance. Assim, ao longo do mês de maio de 2020, durante 5 sessões espalhadas por 3 semanas, realizou-se o Ciclo de Webinars Internacionais “Sinergias de Educação para a Transformação Social”.

Este ciclo pretendeu dar a conhecer, explorar e debater 5 “Experiências Iberoamericanas de colaboração entre Instituições de Ensino Superior e Sociedade Civil” no âmbito da ETS/ECG. Estas 5 experiênicas foram: a comunidade Sinergias ED de Portugal, o CEP-Alforja e o seu trabalho no âmbito da Educação Popular e Extensão Universitária na América Latina, a Universidade Federal Rural de Pernambuco e a experiência do seu Núcleo de Agroecologia e Campesinato, a construção da Estratégia de Educação para o Desenvolvimento da cidade de Valencia em Espanha pela INGENIO (CSIC-UPV) e a experiência de trabalho em rede da ANIMAR – Associação Portuguesa de Desenvolvimento Local. Por ter um carácter Iberoamericano, as línguas de trabalho do ciclo foram o português e o espanhol.


Heading layer
previous arrow
next arrow
Slider

Inscreveram-se 240 pessoas de vários países e geografias. Recebemos inscrições de diferentes continentes: Europa (Portugal, Espanha, França, Luxemburgo e Alemanha); América do Norte (Estados Unidos); América Central (Honduras e Costa Rica); América do Sul (Brasil, Colômbia, Perú; Paraguai; Argentina e México); África (Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Moçambique). Estas pessoas estão, na sua generalidade, ligadas a movimentos sociais, ao ensino superior, a organismos de cooperação, a autarquias, ativistas e educadores e educadoras. Toda esta diversidade foi uma mais valia para as discussões promovidas.

As apreciações a esta atividade foram bastante positivas. As pessoas participantes  realçaram a “harmonia de tempos, espaços, articulações, possibilidade de todos os participantes verem as suas questões respondidas, reflexão conjunta”; possibilidade de “constituírem sobretudo uma forma de nos sentirmos ligados/as a outras pessoas que procuram respostas alternativas com vista à transformação social; “ligação entre teoria e prática; conceptualização e experimentação; inovação e criatividade. Grande  capacidade comunicativa e empatia dos oradores.”; “qualidade dos conteúdos”; “conocer las experiencias de otros países que aportan a la perspectiva metodológica de trabajo que realizamos”; “apresentou uma visão crítica dos ODS, mas procurando fazer pontes e não as apresentando numa perspetiva destrutiva”.

Na apreciação global, sentiu-se que este ciclo gerou “reflexiones sobre los procesos de formación en universidades e institutos superiores, particularmente en los modos de trabajo junto a las comunidades, dentro y fuera de la institucion universitária”. Estas reflexões partilhadas “mostram caminhos e abrem perspetivas. Abrem horizonte no sentido da mudança. Fundamentam-se em valores: dignidade humana, direitos, justiça social, sociedade solidária, sustentabilidade e partilham experiências e vivências possíveis.”

Se quiser aprofundar e ficar a conhecer cada experiência, consulte os materiais produzidos a partir dos registos de cada webinar e que estão disponíveis aqui.


Esta iniciativa foi delineada, organizada e promovida por um conjunto de 9 instituições, investigadores/as e ativistas com ligação à área da Educação para a Transformação Social no contexto iberoamericano. Concretamente: ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (CEAUP), Centro de Investigação e Intervenção Social do ISCTE-IUL e FGS – Fundação Gonçalo da Silveira, de Portugal; Centro de Estudios y Publicaciones Alforja (CEP-Alforja) de Costa Rica; Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) do Brasil; Universidade SUNY Oswego dos Estados Unidos, Instituto Ingenio (CSIC-UPV) e Universidade Loyola, membros do projeto europeu Bridge 47, ambos de Espanha.